SONDA PREPARA-SE PARA ENCONTRO COM COMETA

21-01-2011 10:24

 

 

A sonda Stardust-NExT da NASA aproxima-se de um encontro celeste com o cometa Tempel 1, planeado para as 04:37 de dia 15 de Fevereiro. A missão permitirá aos cientistas olhar pela primeira vez a superfície do cometa em busca de mudanças após uma órbita em torno do Sol.

A Stardust-NExT (ou New Exploration of Tempel) irá obter imagens de alta-resolução durante este encontro e também tentar medir a composição, distribuição e fluxo de poeira emitida na cabeleira, ou material que rodeia o núcleo do cometa. Os dados da missão vão providenciar importantes novas informações acerca da evolução e formação dos cometas da família de Júpiter.

A missão irá ampliar a investigação do cometa iniciada pela missão Deep Impact da NASA. Em Julho de 2005, a Deep Impact libertou um pequeno dispositivo impactante na direcção da superfície do Tempel 1 com o objectivo de estudar a sua composição. A sonda Stardust poderá capturar uma imagem da cratera criada pelo dispositivo. Isto seria um bónus a juntar à grande quantidade de dados que os cientistas da missão esperam obter.

"Cada dia nos aproximamos mais e cada dia ficamos mais ansiosos acerca da descoberta de informações fundamentais acerca dos cometas," afirma Joe Veverka, investigador principal da Stardust-NExT da Universidade de Cornell, em Ithaca, Nova Iorque, EUA. "Um segundo olhar sobre o Tempel 1 vai fornecer novos dados sobre como os cometas funcionam e como foram formados há 4,5 mil milhões de anos atrás."

A aproximadamente 336 milhões de quilómetros da Terra, a Stardust-NExT estará quase do lado oposto do Sistema Solar durante o seu encontro. Ao longo da passagem rasante, a sonda irá obter 72 imagens e guardá-las no seu computador de bordo.

As imagens brutas do "flyby" serão enviadas para a Terra para processamento a partir das 8 horas de dia 15. Espera-se que estejam disponíveis aproximadamente às 9:30.

A sonda está a cerca de 24,6 milhões de quilómetros do seu encontro. Desde 2007 que a Stardust-NExT executou oito manobras de correcção do seu percurso, completando quatro órbitas em torno do Sol e usando uma assistência gravitacional da Terra para se reunir com o Tempel 1.

Estão planeadas outras três manobras para refinar o percurso da sonda em relação ao cometa. A órbita do Tempel 1 leva a sonda tão perto do Sol quanto Marte e quase tão longe quanto a órbita de Júpiter. Espera-se que a sonda passe a cerca de 200 km do cometa com 6 km de comprimento.

Em 2004, a missão Stardust tornou-se na primeira a recolher partículas directamente do cometa Wild 2, bem como poeira interestelar. As amostras regressaram à Terra em 2006 graças a uma cápsula que se libertou da sonda e aterrou de pára-quedas a Sudoeste de Salt Lake City, EUA. Os controladores da missão colocaram a ainda viável Stardust numa trajectória que potencialmente poderia reusar o seu sistema de voo caso um alvo de oportunidade se apresentasse.

Em Janeiro de 2007, a NASA re-baptizou a missão de Stardust-NExT e começou a sua viagem de quatro anos e meio para o cometa Tempel 1.

"Podemos dizer que a nossa sonda é um veterano de campanhas cometárias," afirma Tim Larson, gestor do projecto Stardust-NExT no JPL da NASA em Pasadena, Califórnia, EUA. "Já chegou a metade do caminho até Júpiter, executou passagens rasantes perfeitas por um asteróide e um cometa, recolheu material cometário para envio à Terra, depois dirigiu-se para o vazio do espaço novamente, onde pedimos para outro frente-a-frente com um segundo núcleo cometário."

A equipa da missão espera que esta passagem rasante escreva o capítulo final da história da missão, recheada de sucessos. A sonda está quase sem combustível à medida que se aproxima dos 12 anos de viagem espacial, percorrendo quase 6 mil milhões de quilómetros desde o seu lançamento em 1999. Espera-se que neste "flyby" consuma o combustível restante.

 

Fonte: http://www.ccvalg.pt/astronomia/noticias/2011/01/21_stardust-next.htm